Papo de Amiga #001

Quem precisa de um relacionamento para ser feliz?

Às vezes a gente passa por uns períodos da vida em que acredita que não consegue ser feliz sozinha e acaba entrando em um relacionamento apenas pelo medo de se sentir só. Grande parte desse receio é implantado em nós desde a infância, principalmente nas mulheres, e leva muito tempo para aprendermos que estar com alguém é ótimo, mas ser livre para ser feliz independentemente de estar com outro alguém ou não é divino.

Durante muitos anos eu estive em um relacionamento que, embora me fizesse muito feliz, teve sempre uma sombra de receio sobre o que a outra pessoa iria pensar com relação às minhas atitudes, amizades, pensamentos e ideologias. Sabe quando você está sempre pensando qual vai ser a reação da outra pessoa com relação a cada ato e fala sua? Pois é. E eu nem culpo a outra parte por isso, não. Nós sempre soubemos que éramos muito diferentes, e sempre discordamos com relação às atitudes um do outro. Mas, analisando as coisas pelo meu ângulo, eu sempre achei que pudesse valer a pena relevar tudo e investir naquele relacionamento, porque eu acreditava nele.

Quando estávamos prestes a terminar definitivamente, um dos meus maiores receios era não ter disposição para encontrar outra pessoa, de começar tudo de novo e investir em um novo relacionamento. Olha só que loucura: o meu medo era, na verdade, ficar sozinha.

Depois de 4 anos de namoro, eu já havia me esquecido como era boa a sensação de liberdade em poder sair com quem quiser e quando quiser, de recusar convites, de não precisar ficar imaginando o que os outros vão pensar com relação às minhas atitudes. Eu escrevi sobre isso no “Cronistas de Quarto” (disponível aqui). Eu havia me esquecido que o importante mesmo é que você esteja feliz com as suas próprias atitudes. Mas de onde vem esse medo?

Parem para pensar: o que simboliza o final feliz em praticamente todos os contos de fadas e comédias românticas? Quem aí já ouviu as expressões “ficar pra titia” e “tia solteirona” com aquela entonação de reprovação? Todo mundo, né?

Embora possamos ver sinais claros de tentativa de mudança, a sociedade ainda espera que você se case e tenha filhos para que seja considerada uma mulher feliz, e qualquer pessoa que declare ser feliz de outra forma precisa aprender a conviver com olhares de espanto e reprovação. “O que? Você não quer ter filhos?”, “Como assim você não deseja se casar?”, “Com o tempo o seu lado maternal irá aflorar e você vai desejar ter filhos”, “Toda mulher deseja se casar!”, “Toda mulher nasceu para ser mãe!”…

A essa altura já vai ter um monte de gente querendo me chamar de feminazi e achando que estou falando um enorme absurdo, pregando contra a família tradicional brasileira e o sagrado matrimônio. Gente, por favor, sejem menas! Eu só acho que precisamos aprender a respeitar a liberdade individual de cada um ser e querer o que achar melhor pra si.

Tá faltando humildade pras pessoas entenderem que o que é bom pra você pode não ser bom para o coleguinha, e que o que te faz feliz pode não fazer o coleguinha feliz. Se você deseja se casar esse é um direito seu, tanto quanto o coleguinha tem direito de não querer. E isso vale para absolutamente todas as coisas que te fazem feliz.

Se a gente aprender, como sociedade, a respeitar a liberdade individual de cada um em escolher o que o faz feliz e pararmos de impor padrões de felicidade aos outros o mundo com certeza será um lugar muito mais leve e feliz para vivermos. Afinal, quem foi que disse que eu só posso ser feliz se estiver em um relacionamento?

Blogueira, poetisa e fotógrafa amadora, a Beca ganha a vida como Gerente de Conteúdo em uma agência de marketing 360, mas a sua paixão mesmo é a poesia, a fotografia e a música.

5 comentários em “Papo de Amiga #001

  1. Isso que você escreveu só fez sentido para mim depois que comecei a terapia. Um belo dia eu senti uma felicidade libertadora em estar solteira. Os outros se espantam que eu esteja bem assim e não esteja interessada em entrar em um relacionamento agora. Essa fase de se amare se permitir é ótima!
    Estar em um relacionamento por medo de ficar sozinha ou por medo do julgamento dos outros é triste e prejudicial à saúde.

    Gostei do seu blog. Parabéns!

    1. Oii Aline!!! Fazia tempo que eu queria responder o seu comentário e não conseguia parar pra fazer isso 🙁 Cara, é realmente muito bom quando a gente consegue ficar bem consigo mesma e ser feliz de verdade! A necessidade de agradar ao outro ou à sociedade é algo que faz com que a gente esteja eternamente se policiando e podando, e isso é muito chato. Fico muito feliz que você esteja bem e que tenha aprendido a ser feliz do seu próprio jeito <3

Deixe uma resposta